terça-feira, março 29, 2005

Tudo sobre... Nevermind

O grunge nasce e poderá ter morrido com os Nirvana. Nasce e perde fulgor depois de um primeiro álbum: “Nevermind”. Nasce e morre com o suicídio de Kurt Cobain, o vocalista, três anos depois. Em 1991, Michael Jackson é destronado pelo polémico vinil de capa azul, com um bebé a nadar atrás de uma nota de dólar, no top norte-americano. A banda, nada e criada em Seattle, alcança um sucesso inesperado.

Este DVD mostra como foi feito o álbum que mudou a face do rock mundial. A energia de Cobain, o condicionamento das letras em relação à música e o trabalho em estúdio estão documentados em tempo a menos para quem tem os Nirvana na prateleira das melhores bandas de todos os tempos, mas em 45 minutos suficientes para quem apenas os quer conhecer melhor.

Os extras também deixam algo a desejar. Para além de uma versão ao vivo de um dos hinos da banda – Polly –, apenas existe o “making of” do vídeo de “Smells Like Teen Spirit”, a explicação para a capa e escassos minutos sobre o ingresso do baterista Dave Grohl na banda e sobre a viagem, de avanços e recuos literais no automóvel de Kurt, até Los Angeles, para a gravação do disco.

Butch Vig, o produtor de “Nevermind”, revela em frente da mesa de mistura os efeitos que criou, por vezes contra a opinião de Cobain, para que o álbum tivesse saído tão bom. Denuncia-se ainda a razão para a decisão do vocalista em acabar com a vida, no mês de Abril de 1994, com um tiro de caçadeira e três vezes a quantidade mortal de heroína no sangue: ele, que a tantos jovens chegara através do seu discurso crítico para com a sociedade, à qual nunca se adaptara, apercebera-se de que o sucesso não lhe trouxera as razões para continuar a sobreviver.

O DVD viaja através de “Nevermind” e não pelo mundo dos Nirvana. Isso está defendido até no próprio título e pós-título: “a autorizada história do álbum”. Para os verdadeiros fãs, falta o resto.
(by Luís Mateus)